Crónicas de Uma Viajante Constante

A vida é uma canção de amor, um perfume ou um automóvel.

viajante-newmanity

By Mami Pereira


Atenção à tripulação: isto não é um daqueles artigos sobre uma CEO que teve um AVC e decidiu escrever um livro a explicar o B.a-BA da V.I.D.A. Eu não rapei o cabelo e fui contar lentilhas para um Ashram indiano, recuso-me a acordar antes do Sol e o Tibete é demasiado frio para andar só com um ombro de fora.

Isto sou eu a dizer o que precisei de fazer para andar com a coluna erecta, nariz a roçar o céu e um pé à frente do outro. Não é uma fórmula, não vai resultar contigo! (São só umas metaforazinhas e uma conclusão de bolso. Aqui vai disto.) 

 

1°Metaforazinha

Quando eu era pequena havia duas alternativas, ou eras Ministar ou eras Onda Choc! Mas isso era uma grande patranha, na verdade havia umas 40 miúdas a fazer karaoke, vestidas com roupa da Cenoura para 400.000 que compravam K7s e acreditavam que "ele era o Rei lá do liceu". E a vida era assim! 

 

2°Metaforazinha

Já repararam como os anúncios de automóveis, nunca vendem automóveis? Vendem sempre Liberdade! Nunca se vê o Audi A628472 num engarrafamento da ponte, ali no tunel do Campo Pequeno, na rotunda do relógio. Nunca há carros na estrada, nem há estrada, é um deserto, a imensidão, o infinito! És só tu e o acelerador, para sempre! A Liberdade... Ou a família! Há que vender carrinhas também. A Liberdade ou a Família? O que é que o teu carro diz de ti? 

 

3°Metaforazinha

Não adoram os anúncios de perfumes? Mas como é que se vende um aroma? Como é que se filma um odor? É fácil. Amor!
Todos os perfumes prometem Amor! Seja romance, seja valor. Perfume é atracção, valor é amor próprio e só quem se ama é livre! 

 

Fim das Metáforas 

Agora voltem atrás no texto e vejam os pontos de exclamação, não há nada mais ridicularizado no mundo da pontuação como uma exclamação, partilham a má fama dos livros de auto-ajuda mas têm o seu lugar. Eles existem porque este texto (que era para ser sobre as minhas viagens épicas e o meu desapego a bens materiais) é sobre Ilusões ponto de exclamação.

Porque se eu vos contasse que, com menos que o que se gasta a viver em Lisboa, conseguem andar a enganar o inverno, há dez anos, pelo mundo fora, vocês iam acreditar tanto como naquele anúncio do Ferrari, no felizes para sempre do Chanel N5 e na sorte das miúdas dos Ministars. 

 

A verdade é que Liberdade ou o Amor não vem com rodas, nem cheira a rosas.

 

Mas é um luxo que dás a ti mesmo. E é caríssimo. Vai custar todas as tuas ilusões, somada a todos os medos e dragões vezes todos os dias e sem garantias. O único segredo é fazer - - - o que se quer - - - dê lá por onde der! 

(Vá, agora vão lá ver o espectáculo das minhas fotografias).

 


 
Guest Blogger Photo - cópia.png

Viajante constante. Cronista crónica. Semantica romântica. Afrodite de salão. Ladra de livros. Alma velha. Camarim de artista. Obviamente feminista. Atena em contemplação. Mas o melhor da vida é a comida, o amor e o colchão. Podes conectar-te com a Mami aqui